FotoPoesia

Sem Chão

Olhe no profundo do que posso ser

Escute o meu silêncio

Grite sem dizer nada

Não consegue compreender

Eu sou o melhor de você

 

Eu imploro, choro sem ver

Só de pensar me faz enlouquecer

Esse olhar caído que me diz tantas verdades

Mesmo que a raiva venha

Não sei mais se consigo esconder

O que vai dentro de mim

É tão seu quanto meu

 

Sinto-me estranho só de pensar

Nessa imensidão diante de nós

A pedra que me apóia

É trampolim do abismo

Pois diferente de está só

É sentir a solidão

 

Preciso do ar para voar

De um lugar infinito

Irei me jogar de olhos abertos

Mesmo sem asas eu consigo voar

Pois para eu me entregar

Preciso que tudo esteja assim, sem chão