Sentimentos Cotidianos

Litoral Poético

No horizonte avistei de longe um mar. Um lindo e revolto mar cercado por uma multidão de grãos de areia. Porém, completamente sozinho, envolto por uma misteriosa atmosfera que encobria o que desejo ter. E eu que esperei por muito tempo o momento certo para dizer, mas esse momento se perdeu na extensão indefinível desse litoral poético. O quanto eu ainda quero ver tuas águas sorrindo pra mim quando me ver, quero sentir teu cheiro de maresia, suas mãos tocando as minhas. Eu quero tanto sentir seu corpo contra o meu, eu quero tudo isso e um pouco mais.

Bicicleta na praia. Foto: Laila Guedes

Não há um segundo em que eu não deseje esse mar de alguma maneira. Digo-lhe que posso até possuir teu corpo junto ao meu com desejo demasiado, mas carrego em mim a certeza de que sempre será uma alma livre entre outras almas livres. Pois, somente o amor fará tuas águas envolver-me em um abraço. Deixarei sempre livre teu corpo, ondulando sob as carícias do vento, para que possa repousar entre as ondas que reverberam em meus lábios o desejo por teus beijos.

Mas não pretendo torna-me possuidora do teu mar interior, por ser em vão. Deixe-me apenas tocar as tuas margens em movimento para que possa sentar-me no topo de sua ilha. Irei passear entre suas praias mais desertas tocando docemente as areias brancas do seu coração. Encherei meus pulmões com todo ar que conseguir comportar, e com a força da minha alma irei mergulhar em ti. E se, numa tempestade em mar aberto, faltar-me-ei o fôlego, irei flutuar no reflexo do teu olhar.

Porque a nossa alma tem o mesmo grau de salinidade. E somente contigo consigo submergir a minha alma completamente. De onde veio esse mar pouco importa se eu quero me entregar.

* Pra ficar ainda melhor escute a canção “Everytime You Go Away”.