Sentimentos Cotidianos

Céu e Mar

Se eu fosse céu debruçada sobre você, o que sinto cá do alto do meu coração, é mar. Devo cair e cair daqui de cima é bem alto. Se eu puder chorar, eu vou chorar, vou chorar. Eu sinto o tempo passar, o sol me abraçar, o vento sussurrar em meu peito, eu sinto que sou céu e você é mar. Sinto a delicadeza imensa que sou e estou sutilmente presente no dia e na noite. Mesmo que, pra cima você não olhe, eu incansavelmente não deixo de te apreciar. Somente a mim pertenço, com a mansidão das nuvens leves que me vestem a alma. Por natureza, envolvo todos com o meu instinto protetor.

Laila Guedes no Porto da Barra (foto 05).

Há tempos venho sentindo, me comovendo, resistindo, mas sinto que desta vez minhas lágrimas irão desmoronar, eu vou chorar, vou chorar. Sim, eu vou derramar minhas lágrimas em você agora. Se eu puder dar um beijo demoradamente, irei te tocar, fique bem embaixo de mim, fique, fique por mim, fique pra me abraçar. Eu preciso chorar agora e irei chorar, estou chorando, te abraçando, te beijando, te tocando.

Sempre que eu me sinto só, me fecho, eu choro e peço – olhe um pouco pra cima e abra os braços para eu chorar. Com os olhos voltados pra o horizonte de águas, estou nublada, eu imploro – fique comigo agora, eu preciso chorar, chorar em você. Todo esse meu céu desabando. Eu sinto, sinto muito, mas eu preciso chover, encher esse mar, molhar essa sua secura. Desaguar meu azul ciano, te alagar. Eu não aguento. Preciso chorar pra tocar a sua alma que também é água. Sim, eu vou chorar, chorar, chover no mar, me envolver em ti.

* Pra ficar ainda melhor escute a canção “Give Me One Reason