Sentimentos Cotidianos

Com o tempo, a gente se ama

Este texto é sobre outra pessoa, então eu encaro teus olhos bem de perto, e escrevo. Eu vou expor esse seu jeito de amar. Somos estranhos, mas andei viajando por cada pensamento seu, e mais, muito mais que isso. Eu caminhei nas ruas escuras do teu coração, fiquei perdida.

O Reencontro, de Laila Guedes.

Andei a procura do amor e encontrei saudade. Aqui dentro de ti, fala-se para sentir mais, amar mais. Consigo ouvir teu coração dizer sobre tantos sentimentos bons. Eu sinto que seu coração quer se entregar, sem privações. Sim, eu percebo tantas coisas, mas espero você libertar o amor para amar. Talvez não perceba o quanto teus medos esconde o amor, as lágrimas em teu coração escorrem. Não há sentido ou propósito em ter tanto amor pra não amar.

Não consigo compreender. Eu sinto o quão belo seria, caso amasse alguém. Mas, entretanto, sinto a sua saudade e as suas dores. Esse seu jeito de amar não amando, a maneira como sua alma tem receio de tocar outra alma, o silêncio provoca. Pouco a pouco teus desejos dizem tudo o que sente de verdade. Seu silêncio não nega coisa alguma. Ainda que tente disfarçar, ainda que queira muito se proteger. Eu sei, você não quer se magoar. Arrependimentos todos nós temos, mas não podemos parar de respirar.

Amar não se aprende, liberta. E com o tempo, a gente se ama. Nenhuma proibição é capaz de separar os desejos da alma. Então não se engane, todo amor que há em ti foi feito pra amar. Toda ferida cicatriza e somente o amor cura. Com o tempo, a gente se ama. Sim, eu tenho certeza que a vida irá te fazer acreditar, que libertar o amor será como uma lanterna viva em teu coração.

* Pra ficar ainda melhor escute a canção “Mercy”.