Sentimentos Cotidianos Uncategorized

A Different Angel

So, I walk down Hobson Street alone as I always knew how far I could go. In this state, I’m destined to feel freedom. A nature that we all must wear inside. It seems as if I were a bird that changes all the time. Forgotten inside myself and closer to who I am.

To touch my soul again, I’d give everything. But life demands so much more from me. When I feel lost, I hold/keep my face up and feel the rain touching my skin. Blood, a little drop dropping in different ways through my body. I could imagine my face in the sky.

I walk and I think that I should be stronger and more courageous. I know how to walk alone, but sometimes I may cry a storm. I feel as if I were bleeding as the sky is cloudy, as I’d be there crying and floating with my wings. When there’s nothing left for me, I cross my heart then I look up at the sky where I am. And I’ll be the survivor. I trust myself. I feel how all my fears will soon reach an end.

I need a new name. And I die alone, one more time, on my own. Like an angel in the moonlight. It’s flying or dying, this is my diversity of silence. Walking on the street as the leaves in autumn. It’s another way of the butterfly. I would fly away and join the stars. Though I did not know what to do, I would touch the dark sky. It’s time. As we lose sight of the place for a different angel in the survivor story. Once, I longed for a handful of peace, for another change to be immortal. Finally, looking face to face to the sun, my wings have the bright color of gold.

TRADUÇÃO…

Um Anjo Diferente

Então, eu ando pela sozinha pela Hobson Street e eu sempre soube o quão longe eu poderia ir. Nesse estado, estou destinado a sentir liberdade. Uma natureza que todos nós devemos usar por dentro. Eu me sinto como se eu fosse um pássaro que muda o tempo todo. Esquecido dentro de mim e mais perto de quem eu sou.

Eu daria tudo para tocar minha alma novamente. Mas a vida exige muito mais de mim. Quando me sinto perdida, mantenho meu rosto erguido e sinto a chuva tocando minha pele. Sangue, uma pequena gota caindo de formas diferentes através do meu corpo. Eu poderia imaginar meu rosto no céu.

Eu estou andando e pensando o quanto eu deveria ser mais forte e mais corajosa. Eu sei andar sozinha, mas às vezes eu choro uma tempestade. Eu sinto como se eu estivesse sangrando quando o céu está nublado, como se eu estivesse lá chorando e flutuando com minhas asas. Quando não há mais nada para mim, eu atravesso meu coração, então eu olho para o céu onde estou. E eu serei a sobrevivente. Eu confio em mim mesma. Sinto que em breve todos os meus medos chegarão ao fim.

Preciso de um novo nome. E eu morro sozinha, mais uma vez, sozinha. Como um anjo ao luar. É voar ou morrer. Esta é a minha diversidade de silêncio. Andando na rua como as folhas no outono. É um outro caminho da borboleta. Eu voaria para longe e me juntaria às estrelas. Embora eu não soubesse o que fazer, ainda assim tocaria o céu escuro. Está na hora. Enquanto perdemos de vista o lugar para um anjo diferente na história do sobrevivente. Uma vez, eu ansiava por um punhado de paz, para outra mudança, e ser imortal. Finalmente, encarando o sol de frente, minhas asas têm a cor brilhante de ouro.

* Pra ficar ainda melhor escute a canção “Autumn The Four Seasons”.